Bromeliário

 
 
Atividade sobre sementes realizada no Bromeliário após conhecer sobre as bromélias e orquídeas, dentro Tema “Conhecendo as Plantas”.
São mais de 3 mil espécies de bromélias, nativas das Américas, com exceção de uma espécie que ocorre no oeste do continente africano. Fazem parte da família Bromeliaceae e apresentam grande importância econômica, principalmente devido ao delicioso fruto do abacaxi (Ananas comosus) ser muito apreciado na alimentação. Também são de grande importância em relações ecológicas porque, apesar de sua reduzida biomassa, auxiliam muito na ciclagem e incorporação de nutrientes atmosféricos, constituindo um eficiente mecanismo de captura e conservação de nutrientes.

Elas podem ser rupícolas (que vivem em pedras), epífitas (que utilizam outras plantas como suporte para obter luz, água da chuva e ventilação), ou podem ser terrestres. É importante salientar que, apesar de utilizarem outras plantas para suporte, elas não possuem comportamento parasita. As bromélias desenvolveram e possuem a capacidade de adaptação, de maneira que conseguem se desenvolver em locais com pouca ou muita incidência de luz, também são muito resistentes a ambientes com altas temperaturas e solos pobres em nutrientes.

Exemplos de diferentes espécies de bromélias da EMEA:

Fotos: Ursula Passos
As bromélias possuem uma estrutura chamada “tanque”, responsável por armazenar água e/ou húmus para atrair diversos insetos e outros animais em busca de abrigo, local para reprodução, desenvolvimento e alimentação. Vários animais se associam a estas plantas, como abelhas, mosquitos, formigas, besouros, percevejos, libélulas, aranhas, pererecas, beija-flores e até mesmo macacos, além de mais de 350 animais.
 

Inseto utilizando bromélia como abrigo

Foto: Ursula Passos
Uma nova espécie de libélula descoberta ocorre somente em bromélias, além de novas espécies de besouros, centopéias e até baratas que foram documentados e descritos no projeto de pesquisa “A Fauna associada às Bromélias na Mata Atlântica” desenvolvido por pesquisadores da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).

As bromélias são polinizadas por diferentes animais, como beija-flores, morcegos, borboletas, abelhas e besouros, atraídos por suas flores vistosas, coloridas e com odor forte, além de néctar em abundância. O vento também é aliado quanto a disseminação de suas sementes, assim como a dispersão dos frutos é feita com o auxílio de animais.

Atualmente as bromélias são muito utilizadas em projetos de paisagismo, devido a sua beleza, variedade de cores e floração, e as epífitas são muito utilizadas em jardins verticais. O bromeliário da EMEA apresenta diversos gêneros, incluindo: Aechmea, Vriesea, Cryptanthus, Guzmania, Tillandsia, Alcantarea, Billbergia, Quesnelia, Neoregelia, Pseudananas.
Principais espécies encontradas na EMEA:
 
• Aechmea blanchetiana
• Aechmea fasciata
• Cryptanthus bivittatus
• Guzmania lingulata
• Neoregelia 'Fireball'
• Nidularium fulgens
• Tillandsia cyanea
• Acanthostachys strobilacea
• Aechmea chantinii
• Aechmea nudicaulis
• Alcantarea imperialis 'Rubra'
• Ananas lucidus
• Billbergia pyramidalis 'Kyoto'
• Billbergia stolonifera 'Variegata'
• Cryptanthus 'Arlety'
• Cryptanthus fosterianus 'Elaine'
• Neoregelia cruenta
• Neoregelia 'Fireball' x compacta
• Neoregelia pauciflora
• Quesnelia arvensis
• Tillandsia yonantha
• Tillandsia stricta
• Vriesea splendens
Texto: Ursula Passos
REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA
MOREIRA, B. A.; WANDERLEY, M. D. G. L.; CRUZ-BARROS, M. A. V. da. Bromélias: Importância Ecológica e Diversidade. Taxonomia e Morfologia. 2006. Curso de Capacitação de Monitores e Educadores. Programa de Pós Graduação em Biodiversidade Vegetal e Meio Ambiente.

OLIVEIRA, R. R. Importância das bromélias epífitas na ciclagem de nutrientes da Floresta Atlântica. Acta Bot. Bras., Rio de Janeiro, v.31, n.4, p.793-799, 28 abr. 2004.

FREITAS, L. H. Projeto ´Fauna associada às Bromélias na Mata Atlântica` terá estande duplo na Sepex. Notícias da UFSC, Santa Catarina, 09 mai. 2007.
AGENDAMENTO